26 de maio de 2015

E as saudades apertam


Não imaginam as saudades que tenho de: não ter que, a determinada hora, vestir aquela farda horrível e ir trabalhar para um sitio onde as pessoas só não se comem vivas, porque não podem; de andar com os livros debaixo do braço e dizer que estou farta da escola; de ouvir os meus pais a dizerem para eu estudar, porque o meu futuro depende disso; de ouvir a campainha a tocar e ficar cheia de medo daquela professora de história. Não imaginam as saudades que tenho da escola. Nunca pensei em dizer isto, até porque da escola eu queria era distância, mas agora...meus deus, nós somos tão inocentes, quando somos mais novos. Pensamos que nada se vai tornar mais difícil do que aquelas disciplinas que odiamos. E agora, é para essas disciplinas que quero voltar. Por isso mesmo, e por não querer trabalhar naquele sitio para o resto da minha vida, vou tentar mais uma vez. Passados dois anos de acabar o secundário, vou voltar a fazer o exame de português e vou inscrever-me na faculdade.

5 comentários:

Jovem $0nhador@ disse...

E fazes muito bem =) Devemos lutar sempre por algo melhor!

Ana Pinheiro disse...

Acho que fazes muito bem! Vamos zelar pelo nosso bem estar e fazer o que realmente gostamos!
Beijinhos

Daniela Costa disse...

Boa sorte* Nunca é tarde para tentarmos procurar a nossa felicidade!

Carolina. disse...

Boa sorte! :)

Mariana disse...

Para que fac queres ir!? pode ser mesmo que nos encontremos :)